Blog

SAÚDE E BEM-ESTAR

Assine gratuitamente para receber dicas, atualizações e outros materiais.

Veja também...

O trigo moderno, entenda porque ele causa consequências desastrosas.- Com Dra. Lia Lima


O trigo da atualidade



O trigo é, sem dúvida, um sucesso financeiro!


Ela está em praticamente todas as refeições e nem notamos.


Como imaginar um dia, após décadas de rotina, um café da manhã sem pão? Um ovo mexido sem uma torrada? Um sanduíche sem pão para hambúrguer? Um patê sem cracks? Uma sopa sem croutons? A pizza do domingo? O bolo de aniversário?


O trigo é o segundo cereal mais vendido no mundo, perdendo apenas para o milho!


Agora reflitam, vocês acham que a indústria alimentar não iria se aproveitar disso? Não se engane, ela já o fez há tempos... e foi aí que o problema começou. O trigo primitivo não causava as consequências que o trigo atual causa. O homem, através da nutrigenética, alterou o DNA do trigo para que ele reproduza rapidamente, e possa aumentar os lucros com a produção e venda e não faltar o alimento no mercado, e depois alterou de novo o sabor do alimento, para dar aquele gostinho de “quero mais”.


E é aí que entra a amilopectina A e a proteína do glúten alterada, gerando o trigo atual. O trigo primitivo, tem sabor mais forte e não causam as alterações, dentro do corpo humano, de forma tão ferozes.

Conheça a amilopectina A

A amilopectina A constitui 80% do trigo atual e é um tipo de carboidrato simples. Os carboidratos ditos simples são aqueles de tamanho pequenos e de grande facilidade de “quebrar” e transformar em glicose. A glicose é a fonte de energia utilizada pelo ser humano.


O quanto um carboidrato é capaz de aumentar a glicose no sangue é caracterizado em índice glicêmico. Comparando a mesma quantidade de sacarose e a amilopectina A do trigo, observa-se que o cereal, consegue aumentar mais a glicose do sangue que o próprio açúcar utilizado para adoçar alimentos! Porque o índice glicêmico do trigo é maior que do que a sacarose. Se aumenta a glicose, em seguida, na mesma proporção, nosso pâncreas, para controlar a glicose, libera insulina. Portanto, quanto maior o índice glicêmico, maior a secreção de insulina.


Sabiam dessa?


Se a insulina é quem distribui a glicose no corpo e nas células, o que fazer com tanta glicose na corrente sanguínea? Simples, se tem demais, o excesso vai ser guardado no tecido adiposo, fígado e músculos.


Resumindo, malefícios da amilopectina A:

- Alto índice glicêmico;

- Promove maior liberação de insulina que o açúcar de cozinha;

- É o grande vilão do trigo;

- Aumenta gordura abdominal;

- É um carboidrato;

- É quem dá o sabor de “quero mais”;

- Promove comportamento de vício:


Consumo de trigo -> alta insulina -> transforma fácil em glicose e distribui no corpo -> insaciedade -> quero mais -> consumo de trigo

Pior que isso, pode ficar? Sim! Conheça o papel do glúten nessa história!


O glúten é a proteína mais presente nos cereais, de bom, ele apenas causa a liga dos alimentos. Sem ele, a pizza e o pão esfarelaram-se, isso já faria uma grande diferença..


Malefícios do glúten: