Blog

SAÚDE E BEM-ESTAR

Assine gratuitamente para receber dicas, atualizações e outros materiais.

Veja também...

10 Dicas para Programar sua Vida- Com Dra. Lia Lima

10 dicas para programar sua vida

Para uma alimentação saudável o que você precisa é de PROGRAMAÇÃO!


Se você é daqueles “tudo ou nada”, “8 ou 80” e pretende emagrecer e buscar uma vida saudável, deve saber que sua chance de emagrecer é alta, mas sua chance em manter é pequena.


Não foi com realizando planejamento, mantendo controle diário alimentar e atentando a prioridade aos hábitos que você ganhou peso, também não foi imediatamente que você ganhou esse excesso de peso. Portanto, sabemos que para perder, apesar de ser muito difícil, é ainda mais fácil que manter.


Ainda existe um adicional as condições acima, é que muitas vezes a obesidade está instalada por não somente erros alimentares e inadequações de comportamento, mas distúrbios hormonais e desbalanço do sistema de equilíbrio do corpo humano, sendo muitas vezes a participação de um médico, essencial no processo.


Portanto o tratamento médico não pode estar apenas associado a prescrição de medicações e avaliação do metabolismo. Deve-se também, incentivar bons hábitos e instituir uma boa alimentação antes mesmo de tentar intervir com medicações. Sendo assim, tudo está atrelado quando o assunto é saúde.


Alimentação – Metabolismo – Mente – Movimento


E o primeiro passo para alcançar tudo isso é a programação. Seguem as dicas abaixo:


1. Não adie. Antes de buscar auxílio médico, não espere escutar dele o que você já sabe, não deixe para depois o que você já pode começar hoje: separe horários para exercícios. Não há como alcançar saúde sem utilizar músculos no dia-a-dia. Se você já realiza exercícios regularmente, pule esse item, se não continue a ler.

Separe meia hora por dia, e entenda que essa meia hora é o preço de um remédio a menos, na sua lista de medicações. Se não for possível, redistribua 150 minutos da semana para realização dos mesmos, havendo a possibilidade em até realizar tudo no fim de semana.


Se proponha a realizar os exercícios como escovar os dentes, como tomar banho e como comer, pois são necessários para saúde muscular, óssea, mental e do metabolismo como um todo.



2. Estude. Avalie e estude as dietas comentadas e sugeridas pelos seus colegas, leve suas dúvidas ao médico ou ao nutricionista e não comece sem orientação. Não espere o profissional de saúde ditar o que é melhor para você, deixe-o apenas adaptar o que você, seu corpo e seus hábitos já sabem, com orientações do que é saudável.



3. Barreiras. Acredite em você, nem que seja por mais uma vez, entre tantas outras tentativas frustradas. Não deposite no profissional de saúde a sua última cartada de esperança. O sucesso depende de você e sua vitória está dentro de você mesmo. Não deixe de lutar e só desista quando se orgulhar de si mesmo.



4. Dinheiro. Adapte sua alimentação com suas condições financeiras, leve sua realidade ao consultório para que a melhor estratégia possa ser criada.


Alimentação saudável é possível com baixo investimento financeiro, principalmente quando ela te oferece saciedade e você come em pequenas quantidades.


Se sobrar alimentos, não estrague, congele.


Você pode cozinhar os pratos no final de semana e separar suas porções em plásticos. De forma que sua vida se torna mais prática e a oferta dos nutrientes são programados previamente. Você pode pagar as “quentinhas” prontas, preparadas sob orientação nutricional, é uma alternativa.



5. Festinhas. Eventos sociais não devem ser excluídos de sua rotina e devem ser adaptados a sua alimentação, como por exemplo:


Antes de sair para eventos, consuma saladas ou sopas, para que você não sinta excesso de fome, no local do evento.


Não há problema em não comer todas as comidas oferecidas. Você pode optar por comer apenas o prato principal ou a sobremesa.