Blog

SAÚDE E BEM-ESTAR

Assine gratuitamente para receber dicas, atualizações e outros materiais.

Veja também...

Faça Uma Dieta Regular De Música- Com Dra. Lia Lima


O QUE É SAÚDE?



A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a saúde como um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não somente como a ausência de afecções e enfermidades.


Dentro desse mesmo contexto, sendo que mais profundo talvez, Dr. Lair Ribeiro, cardiologista, escritor e nutrólogo, cita que:


“Não ser doente não é a mesma coisa que ser sadio. Ser sadio é ter energia suficiente para implementar tudo aquilo que você tem na cabeça”.


Para obter tais resultados de saúde, deve-se fazer uso da medicina atual, que é holística. A medicina holística é aquela que segue os princípios do holismo (do grego holos que significa inteiro ou todo). Ou seja: trata o ser humano como um todo, não através de uma visão fragmentada do real. A abordagem holística acredita que os elementos físico, emocional, mental e espiritual de cada pessoa, forma um sistema e objetiva tratar de toda a pessoa em seu contexto, concentrando-se tanto na causa da doença, como nos sintomas.



Dentro da medicina holística deve-se fazer uso da medicina tradicional, baseada em evidências, associado às medidas definidas como “alternativas”, mas que, na verdade, não deveriam estar vinculados aos sinônimos de: opcional, livre ou facultativo. Essas relações causa a falsa impressão de que medidas alternativas não são científicas e sem resultados potentes. Dependendo delas, as terapias alternativas ou complementares podem conferir efeitos até mais potentes que medicações, faltando talvez, investimentos de empresas para incentivo de estudos com essas técnicas.


Entre as terapias alternativas temos: exercícios físicos, meditação, cromoterapia, musicoterapia, fitoterapia, ayuverda, entre outros.



O QUE É MÚSICA?



Os sons são ondas produzidas pela vibração de um corpo qualquer, transmitida por um meio (gasoso, sólido ou líquido), por meio de propagação de frequências regulares ou não, que são captadas pelos nossos ouvidos e interpretadas pelos nossos cérebros. Ou seja, para a percepção do som é necessário essencialmente do funcionamento neurológico da mente humana.


Os elementos formais são características próprias que dão forma à música, percebidas pelos nossos ouvidos. Ou seja, não somente os neurônios participam da percepção do som e da música, mas de outro órgão chamado ouvido.


São cinco os elementos formadores do som, e é articulando esses cinco elementos que se criam músicas: timbre, duração, altura, densidade e intensidade. Se você acha que isso já está complicando, o som na finalidade de formar a música, ainda é caracterizado pela harmonia, melodia e ritmo.


A música é muito mais que um apanhado de sons, ela é uma parte integrante da humanidade, que nos absorve e provoca emoções intensas. É encontrada em todas as culturas, desde grandes sociedades até tribos bem pequenas, e em todos os tempos. Ela contém algo universal na variedade de melodias, temas e ritmos.



MUSICOTERAPIA (MUSICA + SAÚDE)



O uso de música para cura é algo antigo. Já documentado desde a época da Grécia, onde acreditava-se que na sua mitologia, o Deus Apolo utilizava a música para curar os enfermos.


Pesquisas atuais da neurologia indicam que ela está interligada ao nosso bem-estar, incentivando a criatividade, aguçando sentidos, melhorando as relações de grupo e induzindo a redução de estresse, além de nos confortar em momentos de dificuldade.


Outro estudo observou a atividade cerebral associado ao estímulo musical, veja no que deu: