Blog

SAÚDE E BEM-ESTAR

Assine gratuitamente para receber dicas, atualizações e outros materiais.

Veja também...

Muitos têm, Poucos Sabem Sobre Neuropatia Diabética

O que é Neuropatia Diabética?


A neuropatia diabética é um distúrbio de função dos neurônios que ocorre em consequência do excesso de glicose de longa data, na corrente sanguínea. O diabetes mal controlado pode causar danos a vários órgãos, com prioridade para olhos, coração, vasos, rins e nervos, e quando danifica os neurônios, recebe o nome de neuropatia diabética.


Os nervos que saem da medula óssea, pode inervar e influenciar o funcionamento dos órgãos do corpo, chamado de sistema nervoso autonômico, como também pode ir para as outras estruturas como músculos e pele e formar as sensações e as ações que estão sob o controle da nossa vontade, ou seja, os movimentos. A neuropatia diabética pode ocorrer em qualquer tipo de inervação, mas tem costuma iniciar com os nervos da sensibilidade tátil e temperatura.


Muitos diabéticos têm neuropatia e não sabem!


É IMPORTANTE VOCÊ SABER! Falar de neuropatia diabética tem muita importância já que ela é muito mais frequente do que se imagina, e além levar ao desconforto e dor, pode também progredir com amputação de membros.


Acredita-se em média 30% dos pacientes com diabetes apresentam neuropatia diabética e cerca de 8% dos pré diabéticos já possuem algum grau de dano dos neurônios. No momento do diagnostico de diabetes, quase 10% deles já estão com os neurônios comprometidos de alguma maneira. Cerca de 70% das amputações de membros inferiores são derivadas do diabetes mellitus e que poderiam ser evitadas, de forma que a orientação sobre essa condição, prevenção e tratamento são essenciais na vida de uma pessoa com diabetes.

Como que causa a lesão dos neurônios?


TEORIA DO PROCESSO OXIDATIVO DA GLICOSE! Ainda é teórico, mas acredita-se que a glicemia cronicamente elevada gera dano no funcionamento das células do corpo, pois reduz a capacidade de eliminar radicais livres, do seu interior. Conforme já descrito, as células mais sensíveis ao excesso de glicose são as células da retina do olho, os nervos e as células dos rins. Isso ocorre porque a glicose entra nessas células independente da insulina, de forma que pequenas variações de glicemia são suficientes para serem notadas por elas.

Quais os sintomas de neuropatia? O que devo sentir?


A MAIORIA NÃO SENTE NADA! Cerca da metade dos diabéticos com neuropatia não apresentam nenhum sintoma, sendo que o diagnóstico precoce (exame dos pés) é a melhor maneira de prevenir a progressão e não esperar pelos sintomas.


NENHUM, POSITIVO OU NEGATIVO! A neuropatia pode não haver sintomas nenhum, mas se tiver, é classificada como sintomas positivos ou negativos. Sintomas positivos quando os neurônios elevam/ exacerbam as informações neurológicas e os negativos para aqueles com redução das informações neurais, entenda melhor a seguir:


Quando o indivíduo tem sintomas positivos, é mais fácil de fazer o diagnostico pois pode apresentar:

  • Dor constante;

  • Sensação de queimadura e ardência;

  • Formigamento;

  • Dor que surge de repente, sem uma causa aparente;

  • Dor excessiva diante de um estímulo pequeno, por exemplo, uma picada de alfinete;

  • Dor causada por toques que normalmente não seriam dolorosos, como encostar no braço de alguém


Quando há sintomas positivos, a forma típica de manifestar são: dor em queimação, em extremidades (mãos e pés), intensa e que piora a noite, de ambos os lados.

O tratamento nesses casos, consiste em redução do desconforto, mas não com medicações para dor e sim medicações que influenciam os neurônios na forma de conduzir o estímulo da dor. São eles: alguns antidepressivos e anticonvulsivantes e o controle da glicemia.


Quando o sintoma é negativo, a queixa é:

Redução ou perda da sensibilidade, notada pelos próprios pacientes ou avaliada através de testes clínicos de avaliação dos pés. A redução da sensibilidade pode e costuma ser a sensibilidade tátil (o tato) e/ou temperatura, mas a sensibilidade vibratória ou tato fino também pode ser acometida. Neste caso o tratamento pode ser feito com uso de alguns antioxidantes, vitamina b1 e controle da glicemia.

A FORMA ATÍPICA! A neuropatia costuma ter a sua apresentação típica, como descrita acima, mas isso não impede de cada individuo ter predisposição a apresentar formas atípicas ou progressão que fogem a regra!


A FIBRA! A neuropatia no diabetes tem uma preferência por acometer o tipo especial de fibras nervosas: as finas amielinizadas, qu