Blog

SAÚDE E BEM-ESTAR

Assine gratuitamente para receber dicas, atualizações e outros materiais.

Veja também...

Síndrome do Ovários Policísticos (SOP), Diabetes e Low Carb


Síndrome do Ovários Policísticos (SOP), Diabetes e Low Carb


TENHO SOP, POIS TENHO CICLO IRREGULAR! Quando se fala em síndrome dos ovários policísticos (SOP), logo vem à mente ciclo menstrual desregulado, dificuldade de engravidar, ou até mesmo infertilidade, de forma que por muitos anos, essa condição era associada a somente um distúrbio do sistema reprodutor feminino.


SOP E OUTROS SISTEMAS. Atualmente a visão é diferente, que envolvem vários sistemas, sendo que o sistema pancreático apresenta uma relação bem intensa. A participação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, recebe o papel de protagonista no desenvolvimento da sop. É sobre isso que vamos descrever melhor nessa postagem e aproveitar pra discutir sobre uma estratégia alimentar que auxilia essa síndrome.



O que é a Síndrome do Ovários Policístico?


A SOP é um distúrbio hormonal em que a mulher não ovula nem menstrua com regularidade, derivado de desordens dos hormônios sexuais, entre eles o aumento do hormônio masculino (os andrógenos). Outros hormônios estão associados com a causa da síndrome dos ovários policisticos, sendo a alteração da insulina, uma delas.

Para ter a síndrome é imprescindível que a mulher tenha ciclos menstruais irregulares.


A CAUSA DA SOP


Os mecanismos que explicam o desenvolvimento da SOP não são bem compreendidos e podem envolver componentes genéticos (várias alterações genéticas estão associadas com a síndrome) e ambientais (como o estilo alimentar e hábitos de vida).

OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE SOP


O nome síndrome se refere a um conjunto de sinais e sintomas que vão juntos formar uma condição clínica. Portanto, a irregularidade menstrual é um dos principais sintomas na SOP, mas vários outros podem estar associados como:

  • obesidade,

  • dislipidemia (aumento de colesterol e/ou triglicérides),

  • maior risco para câncer de endométrio,

  • maior risco de desenvolver doença cardiovascular (como AVC e IAM),

  • aumento de pelos em regiões como abdome e pescoço,

  • queda de cabelo,

  • alteração da libido,

  • acanthosis nigricans (escurecimento de pele em região posterior do pescoço ou dobras como axilas e região inguinal),

  • acne.


DÚVIDAS MAIS COMUNS NA SOP!

Ciclo menores ou maiores de 28 dias é irregularidade? Não, a irregularidade é não ter uma frequência de dias de ciclo regular. Se seu ciclo é de 21, 25, 27, 31 dias, não importa, ele é regular.


Um atraso esporádico é ciclo irregular? Não! É comum que eventos na saúde ou mentais, possam eventualmente alterar o ciclo menstrual, já que o sistema reprodutor é muito associado à parte emocional da mulher.



A SOP E A INSULINA

Pelo menos 50% das mulheres com SOP são obesas e a maioria, senão todas, apresentam resistência à insulina (intrínseca à SOP e independente da obesidade) e hiperinsulinemia, as quais se caracterizam clinicamente pela presença de acanthosis nigricans, que são escurecimento das linhas da pele em regiões de dobras como axilas, região do pescoço e região inguinal.


Vários dados confirmam a hipótese de que as resistências à insulina, como o seu excesso, exercem um papel no desenvolvimento de SOP. A insulina em excesso parece diminuir a síntese da globulina ligadora dos hormônios sexuais (SHBG), pelo fígado, aumentando os níveis de andrógenos livres (os hormônios masculinos), ela também parece alterar a secreção do LH e promover a secreção aumentada nos ovários de andrógenos. Dessa forma a insulina parece ser protagonista na SOP e deve ganhar muita atenção para o seu tratamento.


O elo entre a SOP e a diabetes tipo 2 é que ambas possuem excesso de insulina e resistência a insulina e cada vez mais estudos comprovam que a pessoa com SOP tem risco 4x aumentado de desenvolver diabetes, como o próprio diabetes está associada a maior infertilidade, tanto em homens como em mulheres.


TRATAMENTO DA SOP


O tratamento tradicional para síndrome é baseada em medicações para o controle dos sintomas já manifestados, mas não com foco em mudar a causa da doença. Portanto, por muitos anos, o anticoncepcional oral (ACO) era a melhor opção para o tratamento da SOP. Era prescrito ACO (estrógeno e progesterona) que organizavam os ciclos menstruais, de forma que melhorariam a irregularidade, mas não resolvia o problema. Outras opções de medicações são a metformina para aquelas com diabetes ou pré diabetes e/ou finasterida para aquelas com manifestações clínícas das alterações dos hormônios masculinos.

Algumas mulheres até pode necessitar do ACO na SOP, mas é importante saber que ele não resolve a doença e pode até piorar a condição e não deve ser indicada para todas as mulheres com SOP.

A mudança do estilo de vida deve ser o primeiro item a ser considerado!! A Atividade física com regularidade, de moderada a elevada intensidade e alimentação com redução de carboidratos, como a low carb, têm boa resposta na melhora da resistência insulínica.


A lowcarb mantem a glicemia mais estável (com menor variabilidade), necessita de menores doses de insulina ao dia (reduz os riscos do excesso de insulina), melhora a relação do comportamento humano com os alimentos: reduz compulsão, busca por doces e fome, reduz o peso e mantém maior estabilidade e manutenção do novo peso.

Os praticantes desse estilo de vida devem sempre comunicar aos seus médicos sobre essas escolhas alimentares, como deve ser fiel as orientações médicas e dos nutricionistas para obter os benefícios da lowcarb, sem apresentar os riscos, por falta de orientação



Clique aqui para baixar o ebook e entender mais ainda sobre a lowcarb.






Esperamos que tenham gostado dessa postagem, da qual participa o Dr. Marcio Krakauer, endocrinologista coordenador do Departamento de tecnologia, saúde digital e telemedicina da SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes), a ADIABC (Associação de Diabetes do ABC) e a Liga de Diabetes da Faculdade de Medicina do ABC.

Assim como o ginecologista Dr Macelo Ponte é Membro da Sociedade Paulista de Ginecologia e Obstetrícia e Membro da Sociedade Paulista de Ginecologia e Obstetrícia e Atua no Serviço de Oncologia Pélvica Ginecológica do Hospital Pérola Byington em São Paulo.

Clique aqui para conhecer, participar e ajudar a ADIABC ​​

Siga também a ADIABC nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/adiabc.diabetes/

Instagram: https://www.instagram.com/adiabcdiabetes/?hl=bg

Referencias

SILVA, Regina do Carmo; PARDINI, Dolores P.; KATER, Claudio E. Síndrome dos ovários policísticos, síndrome metabólica, risco cardiovascular e o papel dos agentes sensibilizadores da insulina. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 50, n. 2, p. 281-290, 2006.

VILELA, Sérgio Raimundo Júnior et al. O Impacto da Diabetes na Fertilidade/The Impact of Diabetes on Fertility. ID on line REVISTA DE PSICOLOGIA, v. 13, n. 47, p. 1187-1201, 2019.

Para mais

informações

Agende uma

Consulta!

Últimas Postagens

  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Uma atuante no metabolismo funcional e low carb que tem o objetivo de utilizar e agregar a tecnologia como complemento do tratamento de pacientes com distúrbios metabólicos, prestar informações relevantes sobre as doenças metabólicas e propiciar um meio para compartilhamento de experiências no enfrentamento dessas doenças e incentiva-los na busca de qualidade de vida!

Dra Lia Lima

CLÍNICA

Edifício Bacelar Work Center, 
R. Dr. Bacelar, 368 - Vl Clementino, Cj 51
São Paulo - SP, 04026-001

WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.15.26
WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.15.25
WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.15
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.46
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.47
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.48
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.45
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44

Dra. Lia Lima -  Todos os direitos reservados. © 2016 

Tel.: (11) 3181-8283

(11) 97577-9922 

  • YouTube - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle