Blog

SAÚDE E BEM-ESTAR

Assine gratuitamente para receber dicas, atualizações e outros materiais.

Veja também...

Cetoacidose Diabética

Cetoacidose Diabética


A cetoacidose diabética é, logicamente, uma condição em que só ocorre em pessoas com diabetes (tipo 1 e tipo 2) na situação de falta total de insulina ou na dificuldade de ação dela. Ou seja, ocorre quando, por algum motivo, a insulina não faz o seu papel em pessoas com excesso de glicose.


Quais motivos?


Infecções, especialmente pneumonias e infecções urinárias.

Falta do uso da insulina (lapsos) ou uso de doses baixas;

Algumas medicações: Corticoides, diuréticos, Inibidores do cotransportador de sódio-glicose 2 (SGLT2).


Vamos te ensinar como ocorre:

A insulina promove a entrada de glicose para as células, mas as pessoas com diabetes, estão com a glicemia (valor de glicose do sangue) aumentada, por que não tem insulina ou por que ela não funciona bem. A glicose, que está em excesso, não consegue entrar nas células e isso codifica o diabetes, se a glicemia aumenta muito a cetoacidose diabética pode instalar.


As células necessitam de glicose para gerar energia, concordam? E, nesses casos, a glicose não entra.

Então o que a célula entende? Entende que não tem glicose disponível, mesmo a pessoa com diabetes estando com hiperglicemia! É por isso que a cetoacidose só ocorre em pessoas com diabetes, e em pessoas saudáveis não.


O corpo, enganado achando que o problema é a falta de glicose, gera vários estímulos para aumentar a glicemia, o que piora a situação. Ele aciona dois órgãos:

  1. Pâncreas: que libera glucagon

  2. Hipófise: que libera dois hormônios: o GH (hormônio do crescimento) ACTH (que comanda a adrenal a produzir cortisol, hormônio muito importante nesse processo)

Nos músculos: sob estímulo do glucagon e do cortisol, na função de promover glicose de qualquer maneira, estimulam a quebra de aminoácidos (proteólise) gerando piruvato e amônia. A amônia cai na corrente sanguínea e o piruvato segue para formação de glicose (gliconeogenese), objetivo final!


No tecido adiposo (gorduras), sob os mesmos estímulos e com mesma meta: ocorre a quebra de triglicerídeos (lipólise) em ácidos graxos livres e glicerol. O glicerol segue para formação de glicose (gliconeogenese), mas os ácidos graxos livres remanescentes fornecem Acetil-coA e esses são formadores de corpos cetônicos (cetogênese).


No fígado, o glucagon estimula a quebra de glicogênio (molécula que estoca glicose) em glicose (glicogenolise).


Resumindo:


Mesmo havendo aumento de glicose, na falta da insulina, há estimulo de vias que causam: hiperglicemia, piorando a condição. Através de várias vias:


Gliconeogênese: formação de glicose a partir de outras substancias.

Glicogenolise: formação de glicose a partir do glicogênio estocado no fígado.

Lipólise: através da quebra de tecido gorduroso para formar glicose.


Entretanto, para que isso ocorra, existe um custo e é daí que estão os sintomas e as consequências:


1. Aumento de glicose acima de 280mg/dl ativa o rim a eliminar glicose. Mas a glicose não é

eliminada sozinha na urina, e carrega substancias que não estavam aumentadas como água, sódio e potássio, causando desidratação, sede, tonturas, hipotensão.


Os corpos cetônicos, formados pela quebra de gordura, também são eliminados na urina e o exame de dosagem de corpos cetônicos na urina ajuda a confirmar o diagnóstico.


2. Há aumento de amônia na corrente sanguínea (lembra da lipólise?) com falta de sódio e água (que foram pela urina) causam retenção de água no cérebro (edema). O edema cerebral que gera a lentidão de raciocínio e se cada vez mais grave, o coma.



3. Os corpos cetônicos formados caem na corrente sanguínea e causam a redução do PH<7,3 (normal é de 7,35 a 7,45), conhecido como acidose. Dosar o PH através de gasometria é outra forma de fazer o diagnóstico. Esses corpos cetônicos são também eliminados na respiração apresentando cheiro desconfortável, de acetonas.



O diagnóstico falamos como pode ser feito: sintomas presentes e hiperglicemia, alteração do PH, presenta de cetonas na urina. Existem cetoacidose diabética sem sintomas o que torna perigoso pela demora em procurar auxílio médico.



A cetoacidose diabética é uma situação grave e deve ser evitada a todo custo, ela a risco de vida e o tratamento é em hospital.


Esperamos que tenham gostado dessa postagem, da qual participa o Dr. Marcio Krakauer, endocrinologista coordenador do Departamento de tecnologia, saúde digital e telemedicina da SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes), a ADIABC (Associação de Diabetes do ABC) e a Liga de Diabetes da Faculdade de Medicina do ABC.


Se você tem diabetes tipo 2, não deixa de contar pra nós e para as pessoas que estão lendo, como foi o seu diagnóstico! Também não deixa de compartilhar essa postagem para aquelas pessoas que sofrem de diabetes!!!🤓🤓🤓



Clique aqui para conhecer o site, participar e ajudar a ADIABC




Siga também a ADIABC nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/adiabc.diabetes/


Instagram: https://www.instagram.com/adiabcdiabetes/?hl=bg


Para mais

informações

Agende uma

Consulta!

Últimas Postagens

  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Uma atuante no metabolismo funcional e low carb que tem o objetivo de utilizar e agregar a tecnologia como complemento do tratamento de pacientes com distúrbios metabólicos, prestar informações relevantes sobre as doenças metabólicas e propiciar um meio para compartilhamento de experiências no enfrentamento dessas doenças e incentiva-los na busca de qualidade de vida!

Dra Lia Lima

CLÍNICA

Edifício Bacelar Work Center, 
R. Dr. Bacelar, 368 - Vl Clementino, Cj 51
São Paulo - SP, 04026-001

WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.15.26
WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.15.25
WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.15
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.46
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.47
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.48
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44.45
WhatsApp Image 2018-07-27 at 11.44

Dra. Lia Lima -  Todos os direitos reservados. © 2016 

Tel.: (11) 3181-8283

(11) 97577-9922 

  • YouTube - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle